Influenciadores com deficiência são premiados por seu trabalho na luta pela acessibilidade

Influenciadores com deficiência são premiados por seu trabalho na luta pela acessibilidade

Entre eles estão o produtor de conteúdo surdo Gabriel Isaac e a influenciadora com fraqueza muscular Marina Melo


Descrição alternativa: fundo roxo, com uma faixa colorida na parte de baixo. No centro, está escrito “Prêmio Líderes de Acessibilidade”, com alguns ícones das pessoas com deficiência. Na partes de cima e de baixo, as fotos de cada um dos ganhadores, junto com seus nomes escritos: Carla Delponte, Danielle Falcão, Janaina Moreira, Marília Suzart, Talita Pagani, Gabriel Isaac, Izabelle Marques, Jorge Suede, Marina Melo e Thiago Helton.

A Hand Talk, startup alagoana reconhecida por ser a maior plataforma de traduções em Línguas de Sinais do mundo, realizou a 5ª edição do Link: festival digital de acessibilidade , de 08 a 11 de agosto. O evento, que é o maior sobre o assunto no Brasil, trouxe especialistas em acessibilidade e pessoas com deficiência para discutirem sobre o tema. Ainda, neste ano, ocorreu a primeira edição do Prêmio Líderes de Acessibilidade, com as pessoas ganhadoras sendo reveladas no último dia do festival.

A premiação foi criada com o objetivo de destacar iniciativas de pessoas que estão transformando a realidade da sociedade, sejam elas por meio de projetos ou por suas vozes e influência. O Prêmio foi dividido em duas categorias, com 5 ganhadores cada uma. A primeira, Profissionais de Acessibilidade, reconheceu quem realiza projetos ou promove alguma ação para o fomento da acessibilidade, permitindo que mais pessoas possuam autonomia garantindo seu direito de acesso a diferentes contextos. Já a segunda categoria, chamada de Influenciadores em Acessibilidade, celebrou personalidades que atuam em suas redes sociais abordando pautas relacionadas à acessibilidade e incentivando a discussão sobre a necessidade de um mundo mais inclusivo.

A premiação começou pela categoria de Profissionais, e apresentou as seguintes ganhadoras:

Carla Delponte, Fundadora e CEO do Mundo Adaptado, um hub que conecta e informa pais de crianças com deficiência e especialistas;

Danielle Falcão, CEO da Redesign for All, empresa de inovação que cria experiências acessíveis para todas as pessoas, por meio da metodologia de Design Inclusivo;

Janaina Moreira, Accessibility Design Ops na Jüssi. Janaina trabalha na criação de produtos acessíveis e inclusivos, promovendo educação e realizando mentorias sobre o tema;

Marília Gabriele Suzart, Engenheira de Software na Monis, e ativista nos movimentos Accessibility 4DEVS e Lacrei LGBTQA+;

Talita Pagani, especialista em UX e consultora de acessibilidade digital. Talita criou o projeto GAIA (Guia de Acessibilidade de Interfaces web com foco em Autismo), e trabalha com foco na inclusão de pessoas neuroatípicas no mercado de trabalho em tecnologia.

Já a categoria de Influenciadores, premiou as seguintes pessoas:

Gabriel Isaac, influenciador digital surdo que produz conteúdo sobre a importância da acessibilidade, inclusão, diversidade e as nuances da surdez. Foi pioneiro de um dos grandes projetos para o Dia dos Surdos;

Izabelle Marques, criadora de conteúdo digital, ativista do pensamento inclusivo, consultora de negócios de moda inclusiva e Forbes Under 30;

Jorge Suede, ativista em prol da acessibilidade, dos surdos e presidente da Associação dos Surdos de São Paulo;

Marina Melo, blogueira com fraqueza muscular, que fala sobre inclusão e representatividade, principalmente no mundo da maquiagem;

Thiago Helton, advogado tetraplégico que ensina sobre os direitos das pessoas com deficiência em seu canal do Youtube, Clube dos Direitos da PcD.

O Prêmio Líderes em Acessibilidade é pioneiro no Brasil em reconhecer as pessoas que trabalham nesse meio. A Hand Talk e o Link ressaltam a importância de iniciativas como essas, e de dar mais evidência ao debate da acessibilidade e da luta das pessoas com deficiência. Assim como o slogan do evento deste ano, a premiação traz como protagonistas as Identidades que transformam o mundo. O vídeo da premiação ao vivo pode ser encontrado no canal do YouTube da Hand Talk.

Sobre a Hand Talk

Fundada em 2012, a startup brasileira Hand Talk foca em fazer bom uso da tecnologia trazendo mais acessibilidade para o mundo. A empresa oferece dois produtos diferentes, o Hand Talk App, que realiza traduções digitais e automáticas para Libras e ASL (Língua Americana de Sinais), e o Hand Talk Plugin, que torna sites acessíveis para a comunidade surda com traduções para Libras. Ambas as soluções contam com a ajuda de seus tradutores virtuais, o Hugo e a Maya. Esses dois vão além de apenas traduzir conteúdo, mas também estão aproximando pessoas através do uso da tecnologia e comunicação, aplicada em diversos ambientes, como salas de aula e famílias. Com sua ajuda, a Hand Talk busca quebrar barreiras de comunicação, contribuindo para um mundo mais justo e inclusivo.

Compartilhar esse artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *